A ansiedade pode ser descrita como uma sensação desagradável, sentimentos de medo, de angústia, uma inquietação interna.

Certamente todos nós em algum momento já nos sentimos ansiosos frente a alguma situação, ou a algum objeto, a ansiedade em alguns momentos funciona como um significativo sinal de alerta que são necessários à nossa sobrevivência.

Vivemos hoje em uma sociedade imediatista, em um mundo onde os mais rápidos são geralmente os mais contemplados. Hoje em dia as pessoas sabem o preço de tudo, mas não sabem o valor de nada. Em uma sociedade imediatista cada vez mais frequente nos dias atuais, o ser humano tem sido corroído pela ansiedade de viver o prazer imediato, tendo em vista que a expectativa está voltada para tudo que se possa obter pronto, com satisfação instantânea e sem demandas mais prolongadas, ou seja que a informação esteja fácil e não demande esforço.

Em uma de suas publicações o Dr. Augusto Cury, médico psiquiatra, psicoterapeuta, pesquisador e escritor dos quais seus trabalhos são reconhecidos nacionalmente e internacionalmente, nos faz o seguinte alerta:

“Sem perceber, a sociedade moderna – consumista, rápida e estressante – alterou algo que deveria ser inviolável: o ritmo de construção de pensamentos. Isso gerou consequências seríssimas para a saúde emocional, o prazer de viver, o desenvolvimento da inteligência, a criatividade e a sustentabilidade das relações sociais”.

Ele continua: “estamos adoecendo coletivamente e a ansiedade é o verdadeiro mal do século”.

Embora seja usado o termo “adoecer”, ansiedade não é uma doença, ela está ligada com a expectativa que o indivíduo possui. Este sentimento de expectativa só pode existir na ausência da realidade, ou seja, quando o objeto que motiva a expectativa ainda não se tornou viável e real.

Sendo apenas uma condição presente no desejo de posse do indivíduo, melhor dizendo seria um sofrimento antecipado, assim então gerando um estado mais elevado de ansiedade. Podemos usar como exemplo: As expectativas que um Trader iniciante no mercado financeiro tem sobre como poderá ser sua atuação, essa expectativa antecipada pode levá-lo a tomar conclusões precipitadas e agir de imediato, sem ter correlacionado os riscos que determinada atitude pode gerar. Isso está relacionado ao que foi mencionado no início deste artigo, a sociedade imediatista nos cobra inconscientemente resultados para agora, para ter um melhor desempenho em controlar essa ansiedade precisamos nos conhecer e avaliar o que nos trará momentos de equilíbrio e satisfação.

Um bom nível de ansiedade é aquele que não nos faz mal e não atrapalha as atividades do nosso dia a dia. As pessoas, em geral, sentem algum grau de ansiedade ao longo da vida. Isso é normal, e nos faz mover, seguir em frente. É importante lembrar que cada um lida de forma diferente com os estímulos presentes na vida, alguns mais tranquilos e outros com uma certa preocupação e desgaste.

Encontre o seu ponto de equilíbrio através de técnicas de respiração, programação neurolinguística, meditação, aceite quando perder e não queira ganhar a qualquer custo, pois isto acelera a mente e aumenta e muito a chance de derrota, aceite também a conviver com a insegurança, não tenha pressa, comemore suas pequenas conquistas, você poderá se beneficiar com o aprendizado emocional para lidar com seus pensamentos, emoções e também a ansiedade.

Importante ressaltar que é indispensável consultar um especialista Psicólogo ou Psiquiatra caso esta ansiedade esteja atrapalhando de forma exagerada.

 

Aline Bezerra  Sócia Fundadora da Idear Psicologia, Consultora de Recursos Humanos Graduada pela UNIP-SP, Graduada em Psicologia pela FMU-SP.

Carla Cristina Pádua – Sócia da Idear Psicologia, Palestrante, Consultora de Recursos Humanos Graduada pela UNINOVE-SP, Graduada em Psicologia pela FMU-SP.

IDEAR PSICOLOGIA – E-mail: idearpsicologia@gmail.com