O índice futuro do S&P 500 é negociado na CME e funciona praticamente 23 hs durante 6 dias da semana (abre aos domingos às 20:00 h e encerra na sexta-feira as 18:00 h).

 

O Standard & Poor’s 500 (S&P 500) é um índice americano composto pelas 500 maiores empresas dos EUA (companhias norte-americanas ou domiciliada no país.), negociadas nas bolsas NYSE e NASDAQ.

Tem um importante papel na economia mundial por ser considerado o principal indicador de avaliação das ações do mercado norte-americano. Reflete aproximadamente 80% da cobertura de capitalização de mercado de ações dos Estados Unidos e é tido como termômetro e como referência global para movimentação de mercado.

Sua importância é gigantesca e deveria ser acompanhado até mesmo por quem não opera ações fora do Brasil, já que sua performance influencia no desempenho dos demais índices e moedas de países fornecedores, inclusive Brasil.

O desempenho do S&P 500 afeta positivamente ou negativamente o mundo em efeito cascata uma vez que as companhias que detém suas ações listadas no índice são líderes multinacionais e de todos os segmentos: energia, saúde, alimentação, financeiro, varejo, tecnologia, indústria, telecomunicações, dentre outros.

De acordo como Banco Mundial, os Estados Unidos é o maior mercado de consumo do mundo e por esta razão, o país rende oportunidades diretas para fornecedores à procura de importantes mercados consumidores. O mercado americano é uma tendência natural de expansão, seja fornecendo matéria prima, provendo serviço, bens de produção ou de consumo.

E é justamente por isso que os impactos dessa economia não são sentidos exclusivamente no próprio país. Com a globalização, a performance do índice S&P 500 reflete pelo mundo inteiro e gera diversas consequências para outros países.

Quando o índice S&P 500 se apresenta em alta, pressupõe-se que há confiança na economia americana, que o consumo permanece constante e que a demanda permanecerá efetiva. Como consequência, os fornecedores mundiais permanecem performando bem e crescem junto com a boa expectativa da economia americana.

No entanto, quando há um cenário negativo, como por exemplo, um ambiente mais difícil, com estagnação comercial, aumento de custos, incertezas políticas, questões que envolvem a perda de entusiasmo tanto por parte de executivos corporativos quanto por parte de investidores (que possam impactar em desaceleração de crescimento, corte de empregos e recessão de lucros) há possibilidade de retração no índice, reduzindo por consequência o consumo das empresas americanas, afetando diretamente a compra junto aos fornecedores internacionais.

Havendo redução de demanda por parte das multinacionais americanas, seus fornecedores sofrem também com a desaceleração de vendas e possivelmente, desaceleração de lucros.

Quando o índice de performance de economia local se reduz, é normal grandes investidores, com medo de um cenário instável, retirem parte de seus investimentos de países com maior risco (emergentes), como o Brasil por exemplo.

Se eles acham que investir no Brasil pode ser arriscado por algum motivo, optam por colocar dinheiro em aplicações consideradas mais seguras, em outros países. Isso gera fuga de capital estrangeiro, impactando a moeda local.

Curiosidades sobre o S&P 500:

A relação das ações listadas no índice são avaliadas de acordo com o seu valor de mercado. Cada um dos ativos está listado proporcionalmente ao tamanho de sua importância no mercado.

Entre os principais ativos, podemos listar:

  • Amazon (NYSE: AMZN)
  • Apple (NASDAQ: AAPL)
  • Alphabet Inc (NASDAQ: GOOGL)
  • Caterpillar Inc (NYSE: CAT)
  • Coca-Cola Company (NYSE: KO)
  • eBay Inc (NASDAQ: EBAY)
  • Facebook Inc (NASDAQ: FB)
  • Ford Motor (NYSE: F)
  • Mattel Inc (NYSE: MAT)
  • McDonald’s Corp. (NYSE: MCD)
  • Microsoft Corp. (NYSE: MSFT)
  • Netflix Inc. (NASDAQ: NFLX)
  • Nike (NYSE: NKE)
  • Starbucks Corp. (NASDAQ: SBUX)
  • Visa Inc. (NYSE: V)

Uma vez que muitos componentes do S&P 500 não são apenas as maiores empresas dos EUA, mas companhias líderes no mundo, eles representam uma parte importante das receitas, lucros e capitalização de mercado globais de títulos de renda variável. Estas empresas registram margens operacionais mais elevadas do que seus pares globais na maioria dos setores e quase a metade das principais marcas em todo o mundo são membros ou pertencem a membros do S&P 500.

Diferenças entre S&P e IBOVESPA:

Existem duas diferenças principais entre os dois índices. Elas são:

  • A primeira diferença está na quantidade de ações: o índice brasileiro corresponde a cerca de 10% do S&P 500. O patrimônio estimado do S&P 500 está avaliado em mais de de US$ 20 trilhões, com uma pontuação média de 3,1 mil.
  • O S&P 500 apresenta uma diversificação muito maior nas suas ações do que Ibovespa: os dez maiores componentes do S&P 500 representam somente 21,2% do índice e o maior deles, a Apple, tem uma ponderação de apenas 3,9%. Em contraste, as dez maiores ações incluídas no Ibovespa dominam 54,1% do índice e as duas de maior tamanho, Itaú Unibanco Holding S.A. Pfd e Vale S.A., apresentam ponderações elevadas de 9,204% e 8,054%, respectivamente.

 

Conheça o seu perfil de investidor: Antes de investir em qualquer ativo, conheça a sua tolerância aos riscos e veja se a bolsa de valores é adequada para o seu perfil.

Inscreva-se e baixe agora o nosso infográfico exclusivo sobre Swap Cambial

Saiba o que é swap cambial de forma detalhada, visual e simples com nosso infográfico e não esqueça mais o que são essas operações do mercado financeiro.

Você se inscreveu com sucesso!