Você sabia que o foco dado ao mercado de dólar futuro em nosso país, se deve às características institucionais do mercado cambial brasileiro?

 

Apenas os bancos com carteira de câmbio podem participar do mercado de câmbio à vista no Brasil e esta forma de funcionamento do mercado cambial brasileiro, que limita o acesso à moeda estrangeira à vista aos agentes não autorizados pelo Banco Central, faz com que estes transfiram diversas operações típicas desse mercado, para o mercado futuro de câmbio, onde as limitações quanto à participação são muito menos restritivas. Consequentemente, estes agentes priorizam o mercado futuro no momento de fazer suas operações cambiais, o que torna o volume negociado no mercado futuro de câmbio cerca de cinco vezes maior do que o volume negociado no mercado interbancário à vista.

Com mais agentes participando do mercado de câmbio futuro, ele se torna mais líquido, mais informativo e lidera a formação da taxa sobre o mercado à vista, fenômeno contrário ao que ocorre nas principais moedas do mundo.

Sabemos que o dólar é a moeda comercial do mundo e que a forte entrada ou saída de muitos milhares de dólares em qualquer economia, sempre afeta o valor da moeda norte americana. Mas você sabe quais são os fatores que influenciam diretamente na cotação do mercado futuro de Dólar no Brasil?

Na verdade, existem inúmeros fatores, indicadores, taxas e notícias que um operador e investidor de Dólar deve se atentar:

 

1.  Agenda Econômica Mundial

 

O calendário econômico mundial é um instrumento fundamental para consulta de qualquer operador de mercado futuro de Dólar, cobrindo os principais eventos econômicos, anúncios e acontecimentos importantes que impactam e especulam o mercado americano. Todos eles são previamente agendados, tem data e hora para serem publicados, e seus resultados podem ser acompanhados em tempo real.

É claro que alguns indicadores são mais consideráveis que outros. Os dados econômicos – por estarem diretamente ligados às decisões de políticas monetárias e fiscais – são os principais a serem analisados. Por ordem de prioridade, destacamos: dados americanos, chineses, europeus e então, o resto do mundo (incluindo Brasil).

Dentre os principais indicadores americanos, os que medem a saúde econômica do país são os mais relevantes:

  • Payroll (quantos empregos foram criados nos EUA.);
  • PIB (índice de crescimento da economia);
  • Livro Bege (documento que contém várias informações qualitativas sobre a situação da economia americana);
  • Discursos de membros do FOMC (comissão ligada ao FED – Banco Central Americano – responsável pela definição da política monetária americana).
  • Declaração do FOMC (principal ferramenta utilizada pelo painel FOMC / FED para informar os investidores sobre a política monetária. O documento contém o resultado da votação sobre as taxas de juros, discute as perspectivas econômicas e oferece indicativos sobre o resultado de votos futuros. Uma indicação “dovish” pode ser tomada como negativo/bearish para o USD, quando uma indicação mais “hawkish” poderia ser tomada como positiva/bullish para o USD.).

Quanto maior a distância entre a expectativa e a realidade dos indicadores divulgados, maior será o impacto no mercado!

 

E porque isso acontece?

 

Vamos supor que saia um dado muito ruim sobre o Payroll dos EUA. Sendo este o índice que mede o número de empregos criados ou perdidos nos EUA, o apontamento negativo do indicador pode sugerir, por exemplo, a existência de incertezas que impedem o avanço mais robusto da economia, forçando empresários a represarem investimentos e consequentemente , reduzir o crescimento industrial. Ou seja, com as dúvidas (seja em relação à política monetária, política governamental, ou outros fatores diversos), empresas resolveram aguardar antes de confirmar novos aportes e ampliar o quadro de trabalhadores. Esse cenário poderia hipoteticamente impactar negativamente o PIB (índice que mede a expectativa de crescimento da economia).

Sendo a economia americana a mais importante do mundo, qualquer ruído desfavorável ao Estados Unidos também se torna ruim para todas as economias que dependem da economia americana (clientes), tais como Brasil, Europa e China (dentre outros).

Mas como isso afeto o Brasil?

 

* Tome nota: Percepção de risco influencia no câmbio

Quando o momento é de pessimismo, é normal que grandes investidores, com medo de um cenário instável, retirem parte de seus investimentos de países com maior risco (emergentes).

Se eles acham que investir no Brasil pode ser arriscado por algum motivo, optam por colocar dinheiro em aplicações consideradas mais seguras, em outros países. Isso gera fuga de capital estrangeiro.

Para fazer isso, eles recorrem ao dólar – então, aumentando a demanda, o “preço” do dólar sobe, o que na verdade reflete um movimento de desvalorização do real.

Os investidores também ficam de olho no cenário internacional: se consideram turbulento a ponto de representar algum risco à economia mundial, podem preferir comprar dólares porque ele representa um investimento mais seguro. Com mais procura, a tendência então é que o valor da moeda dos Estados Unidos suba em relação as de países emergentes, como o Brasil.

 

E quando o cenário internacional está favorável, o que faz a moeda se movimentar internamente?

A estabilidade econômica interna gera credibilidade, e isso valoriza a moeda do país em relação a outras moedas. Porém, o contrário também é verdadeiro: instabilidade, seja política ou econômica, afeta a percepção do investidor e acaba impactando numa desvalorização da moeda brasileira.

 

2.  Breaking News

 

Breaking News são notícias inesperadas, relacionadas a política, economia (nacional e internacional) e geopolítica. Por exemplo, operações da polícia federal, um ataque terrorista, a morte de alguém importante, um twiter de Donald Trump ou algum evento político inesperado.

Esse tipo de notícia possui impacto importante para os players dado o caráter totalmente inesperado, gerando comportamento de grupo, ou seja, é muito comum nesses casos um movimento rápido e contínuo dos players, seja de compra ou de venda (dependendo da notícia) causando forte volatilidade e deslocando os preços rapidamente.

Sejam quais forem os fatores que influenciam diretamente na cotação do mercado futuro de Dólar no Brasil, é fundamental que o trader esteja sempre bem informado. Como qualquer operação na bolsa de valores, não existe previsibilidade no mercado de futuros no entanto, quanto mais informações você tiver a respeito do cenário no qual o ativo que opera está inserido, menor a chance de ser pego de surpresa.

Se por acaso você for pego por uma break news e estiver com o fluxo contra sua posição, zere suas ordens imediatamente. É a única forma de minimizar perdas!

Notou que para viver do mercado financeiro tem que ficar ligado ao que acontece no mundo 24 horas por dia, 7 dias por semana? Então tome nota de ótimas ferramentas de notícias:

Dedicação total 😉!

Inscreva-se e baixe agora o nosso infográfico exclusivo sobre Swap Cambial

Saiba o que é swap cambial de forma detalhada, visual e simples com nosso infográfico e não esqueça mais o que são essas operações do mercado financeiro.

Você se inscreveu com sucesso!