São Paulo, quarta-feira, 04 de dezembro de 2019

A agenda de eventos e indicadores desta quarta-feira traz como destaque a divulgação da Produção Industrial de outubro pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Na América do Sul, tem início a reunião de Cúpula do Mercosul e o Chile anuncia decisão de política monetária.

EUA

Os índices futuros das bolsas de Nova York, os mercados acionários da Europa, os juros dos Treasuries e o dólar ganharam força após a Bloomberg noticiar, com base em fontes, que Estados Unidos e China estão mais próximos de chegar a um acerto sobre o volume de tarifas que seriam retiradas em um acordo comercial “de fase 1”, apesar de tensões relacionadas a Hong Kong e Xinjiang. Às 6h42 (de Brasília), o Dow Jones futuro subia 0,28%, enquanto as bolsas de Londres, Frankfurt e Paris exibiam ganhos de 0,25%, 1,03% e 1,10%, respectivamente, o juro da T-note de 10 anos avançava a 1,737% e o índice DXY do dólar tinha leve valorização de 0,03%, a 97,76 pontos.

Brasil

O novo capítulo da crise do governo com o Congresso levou o presidente Jair Bolsonaro a se reunir na noite desta terça-feira, 3, com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), no Palácio da Alvorada. Os deputados cobram o pagamento de emendas parlamentares e a liberação de cargos prometidos em troca da aprovação da reforma da Previdência.

Antes do encontro na residência oficial da Presidência, Maia se reuniu com deputados que reforçaram as queixas e ameaçaram uma “rebelião”, até mesmo com a obstrução das próximas votações, incluindo a do Orçamento para 2020. O presidente da Câmara está incomodado com a falta de articulação política do governo no Congresso, que teria, na sua avaliação, líderes com pouca influência.
Maia nega que tenha tratado do pagamento de emendas na reunião com Bolsonaro.


Ásia

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta quarta-feira, após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sugerir não ter pressa de fechar um acordo comercial preliminar com a China.

Ontem, Trump declarou não haver um prazo para que Washington e Pequim cheguem a um entendimento e disse que, “de certa forma”, preferiria esperar até o fim da eleição presidencial dos EUA, em novembro de 2020, para selar um pacto comercial. Trump fez os comentários durante coletiva de imprensa em Londres, antes de participar da reunião de cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Tensões comerciais já haviam ganhado força no começo da semana, quando Trump anunciou a restauração imediata de tarifas dos EUA a importações de aço e de alumínio do Brasil e da Argentina, com a justificativa de que ambos os países teriam promovido “maciça desvalorização” de suas moedas.

O índice acionário japonês Nikkei caiu 1,05% em Tóquio hoje, a 23.135,23 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi recuou 0,73% em Seul, a 2.068,89 pontos, o Hang Seng teve queda de 1,25% em Hong Kong, a 26.062,56 pontos, e o Taiex perdeu 0,18% em Taiwan, a 11.510,47 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto se desvalorizou 0,23%, a 2.878,12 pontos, mas o menos abrangente Shenzhen Composto contrariou o viés negativo na Ásia e subiu 0,23%, a 1.608,52 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana foi também influenciada por preocupações com o diálogo sino-americano, e o índice S&P/ASX 200 caiu 1,58% em Sydney, a 6.606,50 pontos.

Petróleo

Os contratos futuros do petróleo operam em alta na manhã desta quarta-feira, após o American Petroleum Institute (API) estimar no fim da tarde de ontem que o volume de petróleo bruto estocado nos EUA sofreu queda de 3,7 milhões de barris na última semana. Hoje, o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) publica o levantamento oficial sobre estoques americanos, incluindo números de produção. Investidores também aguardam reuniões da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e de aliados, amanhã e sexta-feira. Há especulação de que a Opep+, como o grupo é conhecido, aprofunde os atuais cortes na produção. Além disso, continuam no radar as negociações comerciais entre EUA e China.

09:30 – BRL/BC: LEILÃO DE VENDA À VISTA DE DÓLARES DAS 9H30 ÀS 9H35 DE US$ 500 MILHÕES
09:30 – BRL/BC: OPERAÇÃO DE SWAP CAMBIAL REVERSO DAS 9H30 ÀS 9H35 DE US$ 500 MILHÕES

08:00 BRL/Produção Industrial (Anual) (Oct) 1,4% 1,1%
10:15 EUA/Variação de Empregos Privados ADP (Nov) 140K 125K
11:45 EUA/PMI Composto Markit (Nov) 51,9 50,9
11:45 EUA/PMI do Setor de Serviços (Nov) 51,6 50,6
12:00 EUA/Discurso de Quarles, membro do FOMC
12:00 EUA/ISM Não-Manufatura: Emprego (Nov) 53,7
12:00 EUA/PMI ISM Não-Manufatura (Nov) 54,5 54,7
12:30 EUA/Estoques de Petróleo Bruto -1,734M 1,572M
12:30 EUA/Estoques de Petróleo em Cushing -0,097M

Primeira semana: (boa)
Índices Mundiais: (+/-)
Índice Dólar: (+/-)
Posição estrangeiros: (-) Venderam 2573 – posição dos Estrangeiros no contrato F20 +179.330
Notícias Locais: (+/-)
S&P: (+/-)
Petróleo: (-)

Fechamento DOLF20: 4.210,50
Ajuste anterior DOLF20: 4.221,80
Ajuste DOLF20: 4.210,41