São Paulo, terça-feira, 26 de novembro de 2019

A agenda de eventos e indicadores desta terça-feira traz em destaque a divulgação do relatório da dívida pública federal, referente a outubro. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente do BC, Roberto Campos Neto, participam de evento sobre o cenário para 2020, em Brasília. No exterior, são esperados a balança comercial dos EUA e o lucro industrial da China.

Estados Unidos

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, disse nesta segunda-feira, 25, que a “posição atual da política monetária se mantém apropriada”, na medida em que informações sobre a economia dos Estados Unidos continuam “amplamente consistentes” com as perspectivas da autoridade monetária, de “crescimento econômico moderado, com mercado de trabalho forte, e inflação perto da meta de 2%”.

 

Ásia

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta terça-feira, ainda em meio à avaliação de que Estados Unidos e China caminham no sentido de fechar um acordo comercial preliminar e com a forte estreia do Alibaba em Hong Kong, na esteira da maior oferta global de ações deste ano.

Nos últimos dias, surgiram vários sinais de que Washington e Pequim estão se esforçando para superar suas divergências comerciais. Nesta madrugada, o vice-primeiro-ministro chinês Liu He teve nova conversa telefônica com o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, para resolver “questões fundamentais”, segundo a agência de notícias estatal chinesa Xinhua.

Na China continental, o índice Xangai Composto fechou em alta marginal de 0,03% hoje, a 2.907,06 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,32%, a 1.605,64 pontos.

Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 0,29%, a 26.913,92 pontos, pressionado por ações do setor imobiliário e apesar da promissora estreia das ações do Alibaba, que saltaram 6,59% em seu primeiro dia de negócios, após o gigante chinês do comércio online concluir a maior listagem do mundo em 2019.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei subiu 0,35% em Tóquio, a 23.373,32 pontos, graças principalmente a ações de fabricantes de eletrônicos, e o Taiex mostrou leve ganho de 0,13% em Taiwan, a 11.576,82 pontos, mas o sul-coreano Kospi recuou 0,10% em Seul, a 2.121,35 pontos, influenciado negativamente por papéis da indústria automotiva.

Ontem à noite, quando os mercados asiáticos ainda não haviam iniciado os negócios, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Jerome Powell, reiterou em discurso que a “posição atual da política monetária se mantém apropriada”, sugerindo que a instituição pretende manter seus juros básicos inalterados, após cortá-los em três ocasiões entre julho e outubro.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul pelo terceiro pregão consecutivo nesta terça. O S&P/ASX 200 avançou 0,83% em Sydney, a 6.787,50 pontos.

Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta segunda-feira, 25, não estar preocupado com o dólar acima de R$ 4,20 e que o patamar da moeda deve se manter assim. “É bom se acostumar com o câmbio mais alto e juro mais baixo por um bom tempo”, afirmou Guedes, em visita a Washington. O ministro declarou ainda que o dólar em um patamar mais alto é reflexo de uma nova política econômica, que tem um juro de equilíbrio mais baixo e câmbio neutro mais elevado – o que, segundo ele, ainda precisa ser absorvido pela sociedade.
O ministro também vê com naturalidade o déficit na conta corrente brasileira, na medida em que o Brasil começa a reacelerar seu crescimento. “Os sinais são de recuperação, o desemprego está caindo e estou vendo menor déficit público.” O Banco Central informou ontem que o déficit nas transações correntes chegou a US$ 7,874 bilhões em outubro, o segundo pior resultado para o mês desde o início da série histórica, em 1995, ficando melhor apenas que o dado de 2014 (-US$ 9,305 bilhões).

Petróleo

Os contratos futuros do petróleo operam estáveis na manhã desta terça-feira, após subirem cerca de 0,4% na sessão anterior, à espera de desdobramentos das negociações comerciais entre Estados Unidos e China. Nos últimos dias, surgiram vários sinais de que Washington e Pequim caminham no sentido de fechar um acordo comercial preliminar. Nesta madrugada, o vice-primeiro ministro chinês Liu He teve nova conversa telefônica com o representante de Comércio dos EUA, Robert Lighthizer, e com o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, para discutir “a solução de questões que envolvem preocupações essenciais de cada um”, segundo a agência de notícias estatal chinesa Xinhua. No fim do dia, investidores vão acompanhar a pesquisa semanal do American Petroleum Institute sobre estoques de petróleo bruto e derivados dos EUA.

 


09:30 – BRL/BC: LEILÃO DE VENDA À VISTA DE DÓLARES DAS 9H30 ÀS 9H35 DE US$ 785 MILHOES
09:30 – BRL/BC: OPERAÇÃO DE SWAP CAMBIAL REVERSO DAS 9H30 ÀS 9H35 DE US$ 785 MILHÕES

10:30 EUA/Balança Comercial de Bens (Oct) -71,30B -70,55B
10:30 EUA/Nível de Estoques do Varejo excluindo Automóveis (Oct) 0,2%
11:00 EUA/Preços de Imóveis S&P/CS Composto-20 (s.a.s.) (Anual) (Sep) 2,1% 2,0%
12:00 EUA/Confiança do Consumidor CB (Nov) 127,0 125,9
12:00 EUA/Venda de Casas Novas (Oct) 709K 701K
12:00 EUA/Vendas de Casas Novas (Mensal) (Oct) 1,1% -0,7%
15:00 EUA/Discurso de Brainard, membro do FOMC
18:30 EUA/Estoques de Petróleo Bruto Semanal API 5,954M

Ultima semana: (medio)
Índices Mundiais: (+)
Índice Dólar: (+/-)
Posição estrangeiros: (–) Venderam 15.494 – posição dos Estrangeiros no contrato Z19 – 242.016
Notícias Locais: (+/-)
S&P: (+/-)
Petróleo: (+/-)

Fechamento DOLZ19: 4.228,50
Ajuste anterior DOLZ19: 4.190,95
Ajuste DOLZ19: 4.212,56