São Paulo, terça-feira, 03 de dezembro de 2019

A agenda de eventos e indicadores desta terça-feira traz como destaque a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre de 2019. No exterior, o Banco Central Europeu (BCE) publica relatório sobre o sistema financeiro europeu e o integrante do conselho executivo do Banco Central Europeu (BCE), Benoît Coeuré, discursa. Todos os horários são de Brasília.

EUA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje que seu país vai tarifar os vinhos da França e “todo o resto” em razão do Imposto sobre Serviços Digitais do país europeu.

Ontem, o governo americano já havia ameaçado impor tarifas de até 100% a US$ 2,4 bilhões em importações de produtos franceses por causa do imposto. Segundo relatório do Escritório do Representante Comercial dos EUA (USTR, na sigla em inglês), o imposto francês discrimina empresas digitais americanas como Google, Apple, Facebook e Amazon.

Trump, que falou durante coletiva de imprensa em Londres, onde participará de reunião da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), disse que não vai permitir que a França “tire vantagem” de empresas americanas.

Trump também voltou a acusar a União Europeia de tratar os EUA “de forma muito injusta” no que diz respeito ao comércio.

Petróleo

Os contratos futuros do petróleo operam em alta na manhã desta terça-feira, ainda sustentados por especulação de que grandes produtores poderão ampliar os atuais cortes na oferta da commodity. Com base em duas fontes, a Reuters noticiou ontem que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, conhecidos coletivamente como Opep+, discutem aprofundar os cortes na produção de petróleo em pelo menos 400 mil barris por dia (bpd) até junho de 2020. Atualmente, a Opep+ procura reduzir sua oferta em 1,2 milhão de bpd. O grupo vai definir o assunto durante reunião na quinta e sexta-feira (5 e 6). No fim da tarde de hoje, investidores vão acompanhar a pesquisa semanal do American Petroleum Institute (API) sobre estoques de petróleo bruto e derivados dos EUA.

 

Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse no início da madrugada desta terça-feira, 3, que o projeto sobre a prisão após condenação em segunda instância alcançou ontem o número mínimo para a instalação da Comissão que vai analisar a pauta.

“Hoje terminou de fechar o número mínimo para instalar a Comissão. Eu vou chamar a Comissão para ser instalada amanhã (hoje) para quarta-feira iniciar os trabalhos e logo no início do ano aprovarmos uma PEC que seja constitucional para e que vá ao encontro de encontro aos interesses da sociedade brasileira”, disse Maia.

Ásia

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta terça-feira, com investidores digerindo uma nova escalada das tensões comerciais após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidir restabelecer tarifas a importações de aço e de alumínio do Brasil e da Argentina.

Ontem, no Twitter, Trump disse que iria retomar de imediato a tarifação de aço e de alumínio dos dois países sul-americanos, com a justificativa de que ambos teriam promovido “maciça desvalorização” de suas moedas.

O gesto de Trump veio num momento em que EUA e China encontram dificuldades para superar divergências e finalizar um acordo comercial preliminar, inicialmente anunciado em outubro. No próximo dia 15, está prevista a entrada em vigor de um novo aumento de tarifas dos EUA sobre bens chineses.

Também continua no radar a questão de Hong Kong, depois de Trump sancionar na semana passada legislação que apoia os manifestantes pró-democracia do território, que é semiautônomo mas controlado pela China. Em retaliação, Pequim suspendeu visitas de navios e aeronaves militares dos EUA a Hong Kong e impôs sanções a algumas organizações não-governamentais (ONGs) americanas.

O índice acionário japonês Nikkei caiu 0,64% em Tóquio hoje, a 23.379,81 pontos, pressionado por ações ligadas a consumo, enquanto o sul-coreano Kospi recuou 0,38% em Seul, a 2.084,07 pontos, influenciado por papéis de tecnologia, e o Hang Seng cedeu 0,20% em Hong Kong, a 26.391,30 pontos.

Na China continental, por outro lado, as bolsas se recuperaram de perdas do começo do pregão e terminaram o dia em tom positivo. O Xangai Composto subiu 0,31%, a 2.884,70 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,55%, a 1.605,33 pontos. Já em Taiwan, o Taiex se valorizou 0,25%, a 11.531,58 pontos.

Na Oceania, as tensões comerciais pesaram com mais força no mercado australiano, e o índice S&P/ASX 200 sofreu a maior queda diária em quase nova semanas em Sydney, de 2,19%, a 6.712,30 pontos. Durante a madrugada, o banco central da Austrália decidiu manter seu juro básico na mínima histórica de 0,75%, como se previa, mas sinalizou que poderá voltar a cortá-lo, como fez em três ocasiões desde junho.

09:30 – BRL/BC: LEILÃO DE VENDA À VISTA DE DÓLARES DAS 9H30 ÀS 9H35 DE US$ 500 MILHÕES
09:30 – BRL/BC: OPERAÇÃO DE SWAP CAMBIAL REVERSO DAS 9H30 ÀS 9H35 DE US$ 500 MILHÕES

09:00 BRL/PIB (Trimestral) (Q3) 0,4% 0,4%
09:00 BRL/PIB (Anual) (Q3) 1,0% 1,0%
14:30 EUR/Discurso de Coeuré do BCE
18:30 EUA/Estoques de Petróleo Bruto Semanal API 3,639M

Primeira semana: (boa)
Índices Mundiais: (+/-)
Índice Dólar: (+/-)
Posição estrangeiros: (+/-) posição dos Estrangeiros no contrato F20 +181.903
Notícias Locais: (+/-)
S&P: (+/-)
Petróleo: (-)

Fechamento DOLF20: 4.229,50
Ajuste anterior DOLF20: 4.235,10
Ajuste DOLF20: 4.221,80